Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O INÍCIO

por Ana Lages, em 28.10.17

Bom, a viagem para os Açores começou então em Abril. Tive de embarcar no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, com hora prevista de chegada às 12:30h no Faial. Saí do continente com temperaturas a rondar os 30ºC e mal cheguei, tive um vislumbre do que era os Açores: húmido, frio e com muito nevoeiro! Obviamente que estas são as condições normais de um dia inverno não é? Mas para grande surpresa, as coisas mudaram do nada! A casa do “trabalho” por assim dizer, onde a equipa dos observadores ficava hospedada durante a formação, situava-se na Madalena, na ilha do Pico (ilha muito próxima do Faial, para quem não sabe).

1.jpg

 

Bem, qual é o meu espanto, que ao lá chegar (de ferry claro) a temperatura estava bastante agradável! Havia até umas piscinas encaixadas na escarpa das rochas, perto de casa, ou seja, o verdadeiro show! “Nem é tarde nem é cedo, com este calor, vai já um mergulho!” E assim foi! Eu e outro conterrâneo nortenho, habituados ao “quentinho” da água atlântica, lá fomos! E não é que fomos logo testados com a famosa “quatro estações num dia”?! No final do banho, em águas ainda um pouco fresquinhas, eis que se levanta assim um vento, que nos obrigou a um recolher antecipado. Isto, ao mesmo tempo que o sol se ia encobrindo… No final da tarde, a visão da janela era o autêntico inverno puro e duro!! Nessa mesma noite, se quis ir tomar um cafezito ao nosso spot Via, só de quispo, sim, quispo! Inédito! Tudo isto no mesmo dia! E querem saber o resultado?! Uma ganda constipação claro ahahah

2.jpg

3.jpg

4.jpg

5.jpg

 

Durante duas semanas tivemos então formação no Faial, no DOP – Departamento de Oceanografia e Pescas, o que implicava fazer duas viagens por dia de barco, do Pico para o Faial e vice-versa. Estas viagens duram cerca de meia hora e são asseguradas pela companhia de transporte marítimo dos Açores, a Atlanticoline, e os navios que fazem a ligação entre as duas ilhas são o Gilberto Mariano e o Mestre Simão.

6.jpg

 

Pode dizer-se que são navios bastante compostos, com três pisos, dois fechados, com bancos confortáveis, onde há bar, TV, mesas e Internet disponível, e o topo, aberto, para se apreciar a paisagem dos ilhéus.

7.jpg

8.jpg

9.jpg

10.jpg

11.jpg

 

Tem ainda espaço para levar alguns carros e bagagem, para quem se encontra de viagem: sim, existe uma espécie, de mini check-in nas zonas de embarque, onde se pode colocar toda a bagagem que quiser, sem custos extras e eles carregam-na por ti, top! É só apresentar o bilhete de embarque e está feito. No entanto, existe um fator contraditório à cultura portuguesa, que é… Os barcos saem sempre à hora exata!! Mas exata mesmo, quando às vezes não sai tipo 1 ou 2 minutos antes… Deveras impressionante! Não é como no continente, onde às vezes se esperam horas e querem lá saber…

E agora devem estar a pensar: “E então o mar? Como eram as viagens, calmas ou agitadas?” É assim, por norma, o mar dos Açores é como uma mulher bipolar: no verão é super calmo, no inverno é extremamente assustador… Mas, claro que podem haver exceções, e no meio dos dias bons, lá vem um menos bom, e sim, é o suficiente para que estes barcos durante as travessias entre ilhas se mexam um pouco… Levando as pessoas a chamar pelo gregório :D

12.jpg

 

No meu caso, cheguei a apanhar dois dias de mau tempo, até porque davam alerta amarelo ou laranja e nesse caso ponderou-se se os barcos sairiam ou não. Saíram e não houve problema nenhum, apenas, agitação bastante.

Resultado de imagem para if you know what i mean gif

 

A formação em si, contou com a colaboração de vários professores e investigadores do DOP, que nos deram conteúdos sobre as espécies marinhas que devíamos dominar, como os cetáceos, as aves, as tartarugas e claro está, as espécies piscívoras. Tivemos ainda que saber quais as zonas marítimas protegidas, o estado do clima e como funcionam as correntes, a influência da temperatura e ainda fazer umas sessões práticas de segurança no mar (que vai dar direito a um post inteirinho claroooo!)

E antes de embarcar foi basicamente isto, aqui ficam algumas fotos entre a Madalena e a Horta, por onde passava normalmente.

13.jpg

14.jpg

15.jpg

16.jpg

17.jpg

18.jpg

19.jpg

20.jpg

21.jpg

22.jpg

23.jpg

24.jpg

25.jpg

26.jpg

27.jpg

28.jpg

29.jpg

30.jpg

 

32.jpg

33.jpg

34.jpg

35.jpg

36.jpg

37.jpg

38.jpg

39.jpg

40.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Mensagens



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Favoritos